Por: DARUKIAN, O Ceifador de Orgasmos e sua Primeira Puta das Artes Sacroprofanas, Emonditte. Seres sem rosto nem forma, que tem como único propósito te fazer gozar muito (a vida).

Seguidores dos instintos

13 de julho de 2011

Troco bem dado.


Um relato fictício de um cara que sabe dar o troco bem dado.


Eu estava na escrivaninha, como fico quase todos os dias. Lendo ou escrevendo alguma coisa,não lembro bem. Acho que dessa vez, lendo um livro. Escutei um barulho, mas nem liguei, era o barulho de sempre: ela chegando do trabalho. Nem fazia ideia do que nos esperava. Pouco tempo depois escutei os passos dela, mas continuei concentrado na leitura.

De repente, vejo um vulto e percebo que ela havia se agachado e entrado na escrivaninha, ficando entre as minhas pernas. Achei muito esquisito, mas continuei a leitura...por pouco tempo. Percebi o zíper sendo aberto. Parei de ler, mas continuei na mesma posição. Dali a pouco, a safada abriu minha calça e me começou a me chupar ali mesmo.

Porra...puta vontade que eu tive te puxar ela pra fora e comer ela ali mesmo. Mas vai que ela ficasse de frescura? Fingi que ainda estava fazendo algo. Peguei a caneta e comecei a rabiscar tudo que eu queria dizer pra minha puta, ops, esposa. E ela continuou abocanhando minha pica feito uma louca. Meu deus...eu sabia que a mulher chegava com fome do trabalho, mas não sabia que era tanta.

Me chupou até que eu gozasse, engoliu tudo, ainda fechou minha calça e saiu de lá como se nada tivesse acontecido. Eu entrei na onda e também "não liguei". Esperei as coisas se acalmarem, mas claro, com a ideia na mente: já que ela me deu uma chupada de tão boa vontade, por que não retribuir?

Ela estava no pc, digitando alguma coisa, ainda com a roupa do trabalho. Cheguei por trás, apertando os seios. Ela deu um pulinho de susto, depois fingiu que não ligou, mas sei que sorriu e gemeu por dentro. Continuei a boliná-la assim por certo tempo, e ela digitando. Abri a blusa dela, mordi seu pescoço, me ajoelhei na sua frente e catei seus seios. Aí ela não conseguiu digitar mais, mas continuou fingindo que digitava algo.

Avancei: levantei sua saia, puxei a calcinha pro lado. Já sabia: toda ensopada, pedindo socorro. Enterrei a cara ali. Escutei um gemido que escapou, mas depois ela continuou a se fingir de forte e digitar sabe se lá o que, arfando daquele jeito. Mas o que eu queria era que ela se rendesse.. Enfiei dois dedos no buraco dela e comecei a mexer eles ali dentro, enquanto atacava o clitóris.

Eu conheço a mulher que tenho. Não aguentou 30 segundos. Implorou pra ser comida. Coloquei-a de quatro no banco e enrabei a safada por trás, de roupa e tudo. Estoquei, aproveitei, me deliciei com o rabo da minha esposa, e perto de gozar foi que percebi o que ela tava escrevendo: o word aberto, um monte de palavras desconexas, como se ela só tivesse batido a mão no teclado, mas no meio tinha coisas como "seu puto", "me come", "qro goza", "isso". Não aguentei, o tesão subiu pro teto, e o jato de porra desceu escorrendo do cu da minha esposa. Depois disso sentei ela comodamente no banco e fui terminar minha leitura, com as contas em dia e a "cliente de casa" satisfeita.

Darukian

2 comentários:

  1. Perfeito!!! É o que posso lhe dizer, não tenho idéia do que é estar casado, mas... desse jeito peço a tua esposa em casamento e quero você como meu amante... kkkkkk Killian.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, estou completamente molhada, melhor, estou ensopada!!!

    ResponderExcluir

Agradeço por ter lido, mas há outra coisinha que quero que você faça. Responda: Gostou? Gozou? Então caia de boca na minha...caixa de comentários e libere tudo que quiser jorrar, com muita indecência!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...