Por: DARUKIAN, O Ceifador de Orgasmos e sua Primeira Puta das Artes Sacroprofanas, Emonditte. Seres sem rosto nem forma, que tem como único propósito te fazer gozar muito (a vida).

Seguidores dos instintos

30 de setembro de 2011

Servo Sacroprofano


Teu servo, deusa perva!
Me monta e se entrega, relaxa,
goza (do momento), sossega...
E sobe, e ofega, devagar...

Mais ar. Água?
(Muito fogo) Mais carne.
Pra dentro ou fora?
Por ora, sem demora
o movimento - meeesmo lento -
precisa começar. 

Entrada (até o talo)? Pra já.

Delicie-se com este banquete, deusa minha!
Tu quer jantar (d)e gala, eu verso e orquestro
na partitura da tua pele os gemidos dispersos.
"Com a batuta dura a latejar, no compasso
da minha respiração, servo bandido!"

Seu desejo servido nas sombras, eu ordeno silente.
Teu servo, deusa, (a teu eterno dispor) para dominar
teus olhos revirados (ao fim do último ato de sempre).

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

5 comentários:

  1. Que delícia de versos...



    beijos


    Cris e Junior
    http://desejosefantasiasdecasal.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, esse vai pros melhores da semana!

    beijos da borboleputa!

    ResponderExcluir
  3. Fantasticamente delicioso o poema...
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ai meu Servo faminto, sacana, profano
    Me descobre, me fura, me come!
    Que incho, encharco, te babo.
    Te quero, inteiro, duro, intenso.
    Tudo dentro de mim!
    De-li-ci-o-soooo!
    Beijos de Puta.

    ResponderExcluir

Agradeço por ter lido, mas há outra coisinha que quero que você faça. Responda: Gostou? Gozou? Então caia de boca na minha...caixa de comentários e libere tudo que quiser jorrar, com muita indecência!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...