Por: DARUKIAN, O Ceifador de Orgasmos e sua Primeira Puta das Artes Sacroprofanas, Emonditte. Seres sem rosto nem forma, que tem como único propósito te fazer gozar muito (a vida).

Seguidores dos instintos

31 de março de 2012

(Lembrete de sábado)


A puta sempre alerta
Com puta sabedoria
Quando acorda e não é dia
(Ainda de madrugada)
Dá a primeira mamada
Café com gotas de leite
E mel para seu deleite
(Para nossa alegria)

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

30 de março de 2012

Incesto na sexta


Fim de tarde. Cheguei em casa depois da aula e encontrei o Darukian tomando AQUELE banho quente. Tava um tesão, não resisti e fiquei olhando por um tempão na beiradinha da porta... Aquele corpo moreno, gostoso, todo coberto de água, aquele pau pingando água e gozo. Fui uma puta forte e não entrei.

Hoje era dia de festa. Sexta-feira é nosso dia de sair de casa e fazermos nossos planos de caça às putas. Mas essa sexta era nossa. Fomos pra uma festa cheia de dança de uma puta amiga nossa (ah, Anita... deliciosas histórias juntos, que ménages, moça! Que ménages!) sozinhos. Queríamos mesmo era logo nos catar. Ele estava com aquele terno preto que deixa ele mil vezes mais gostoso, eu com um vestido bem coladinho e contornadinho. E quando eu digo de contornos vocês sabem bem o que é.

Deixei ele lá no cantinho com umas amiguinhas dele que já caíram em cima e quase derrubaram bebida em mim. Tão sem graça, sem tempero... sem bunda, PRINCIPALMENTE sem bunda. Puta sem bunda é puta vazia, gente! Será que elas não entendem?

Acham mesmo que ignorei-o durante a festa toda só por causa das meninas? Eu não... Ignorava eram os guris me cantando, e depois olhava pra trás e lá estava meu mestre, olhando de lado, só me rondando. Eu fazia meus charmes gostosinhos – aqueles que as putinhas aprendizes ao redor dele não faziam. Sentava de frente, no outro extremo... pra ele olhar minha falta de calcinha...

E fazia charme com as minhas putinhas, e roubava chupadas, e batia nos rabões delas... E dançava na pista toda empinada, feito virgem querendo um pau pra sentar. Eu estava uma virgenzinha, minhas putas. Uma hora ele se cansou de tudo aquilo e resolveu me pegar perto de uma parede. Me empurrou, fez pressão com o volume e começou a rebolar devagar...

Quase desmaio de tesão. Eu adoro quando ele chega sorrateiramente – principalmente me pegando por trás. Deu aquele sorriso gostoso dele... Levantou meu vestidinho olhando para os lados (os machos estavam mesmo fogosos hoje) e caiu de boca no meu rabão lá mesmo, na frente das minhas amiguinhas e das amiguinhas dele...

Ah, putosfera... sabe o que é gemer sem culpa da mamãe estar ali do outro lado do quarto ouvindo tudo? Me senti tão livre, com a boca dele no meu cuzinho no meio da festa... as luzes iluminando meu rabão branco, os dedos dele passeando pelo meu corpo sem parar, penetrando às vezes. Me deixando toda meladinha, muito mais do que eu já estava.

Não se agüentou. Abriu a calça social e tirou só aquele pau grande e meladinho de lá. Enfiou no meu cuzinho bem devagar. Uma mão envolvia minha cintura e a outra o meu rabão. Parecia descontrolado. Mas sei que estávamos completamente fora do eixo. Ele sabia que eu estava totalmente tesuda por ele e resolveu ser bonzinho e me atacar. Quão doce!

Foi aumentando o ritmo, nossos corpos envolvidos no calor e suor... ele gozou dentro de mim. E eu na cabecinha desse pau gostoso que ele tem. E as pessoas ao redor olhando boquiabertas... Tesão!
Voltamos pra casa tão amassadinhos! Acho que mamãe desconfiou, por causa do pingo de gozo na minha coxa.

Foi uma delícia essa sexta.

PS: Que fogo, Darukian... será que você também me viu tomando banho? Ou me pegou num momento distraído e me viu mexendo na bucetinha enquanto você tomava o seu?

28 de março de 2012

Neblina Sacroprofana


Linha dura maleável
Com que tapo teu olho
Misturo ao teu adorável
Molho o meu molho

Nosso lençol ensopado
Nossos corpos latejantes
Envolvidos lado a lado
Profanos, pulsantes

Por neblinas de tesão
Que evaporam dos casais,
É pura penetração,
É desejo e querer mais...

Gemido por Darukian e Emonditte.

Mistérios de Darukian - XXXV

Perdeu o começo da putaria? Clique aqui!

XXXV



Consegui um outro relato de “literatura sacroprofana”. Dessa vez sobre a (agora puta) branca de neve.

“Literatura Sacroprofana: Branca de rabo e os sete pauzões”


Me pergunto se é o ceifador que cria isso quando “não tem o que fazer”. Apesar do título sugestivo, ainda tem mais coisa escondida na história.

“Em um belo dia... Uma rainha de um grande bordel, a mais tesuda, quase uma deusa do sexo, estava sendo fodida. Sendo arrombada em cima de um móvel negro como o ébano, tirou a virgindade (do rabo. O resto já tinha sido liberado) com tanto vigor que sangrou.

Ao ver o leite (com sangue) derramado sobre o negro do móvel, não chorou. Sorriu e pensou, enquanto tentava se recompor, que se tivesse uma filha queria que ela fosse tão puta quanto a mãe. E daquelas cores, por que gostou da combinação.

Com um rabo branco, cabelos negros e buracos rosados/lábios vermelhos (duas tonalidades de sangue no leite depica), nasceu a branca de rabo, chamada assim pelos mais íntimos. A rainha deixou todo o seu legado de tesão para sua filha, e morreu pouco após seu nascimento.

A nova rainha do bordel era uma puta esnobe, vadia vaidosa e ficava perguntando para os seus machos no quarto dos espelhos “quem é a mais tesuda desse bordel, espelho meu? Quem?” e o macho respondia que era ela e mais nenhuma.

Algum tempo depois, devidamente esfolada e gozada, a puta esnobe perguntou quem era a mais tesuda daquele bordel. Um macho respondeu, se arrumando pra sair do quarto: “olha, você é até tesuda, mas aquela branca de rabo...nuss...aquela eu passava o mês inteiro boqueteando. Ela sim é a mais tesuda daqui”

A puta velha e esnobe ficou ainda mais puta (agora de raiva): fez um ritual sacroprofano e invocou o que chamam de Darukian, ceifador de orgasmos. Queria matar a branca de rabo, e queria que ela morresse gozando, só para comprovar que ela era superior e conseguia gozar mais que a jovem de bandas claras.

Na esperança de voltar a ser a mais tesuda, mandou o ceifador atrás da branca de rabo. O ceifador gostou da ideia. A princesa do bordel teve medo e fugiu, nas no caminho caiu de quatro e foi alcançada pela foice.

O ceifador se compadeceu da princesa, apreciou o visual e ensinou as artes sacroprofanas para a branca de rabo. Percebendo seu enorme potencial latejante ceifou muitos orgasmos, e um último (este falso) que levou para a rainha esnobe, como prova de que a branca de rabo foi devidamente impalada.

Branca de rabo rodou pelos vários círculos dos inferninhos, e acabou invadindo uma casa, onde se esparramou no sofá. Foi encontrada por sete pauzões, que a acolheram e mataram todas as suas fomes, com a condição de que ela limpasse tudo com a boca, de rabo empinado.

A rainha esnobe não entendia como a branca de rabo ainda era assunto de seus ‘súditos’, e como seu nome era cada vez mais gemido e sussurrado em seus afazeres. Acabou descobrindo onde a branca de rabo estava instalada, e tentou mata-la de overdose de orgasmos várias vezes.

Na primeira vez, invadiu o quarto da branca de rabo, e fez a princesa desmaiar de tanto gozar com breath-play e um strap-on. Os pauzões acordaram a branca de rabo com uma surra de pica. Outra vez, oferecendo-lhe um vibrador que não queria sair e fez com que ela desmaiasse novamente. Foi acordada com um balde de leite depica.

A rainha, mais puta do que nunca, voltou lá com um negão. Mostrando-lhe o pau grande e suculento, disse que ia ensiná-la a engoli-lo até o talo, para que ela melhorasse os serviços de limpeza para os sete pauzões. A princesa relutou e teve medo do pau enorme, então a rainha esnobe demonstrou que era possível engolir tudo. Branca de rabo tentou, mas teve a boca fodida com vigor e engasgou com o volume de leite depica que surgiu repentinamente em sua garganta.

Os sete pauzões não conseguiam administrar a cura de antes por via oral. Tentaram por outras vias, mas nada adiantou. A princesa continuou em um sono profundo. Foi acordada algum tempo por um príncipe, com um daqueles beijos de desentupidor de pia, que desentupiu sua garganta.

Ela foi embora com o príncipe, mas não viveu feliz para sempre com ele. O príncipe era muito narcisista: preferia beber o próprio leite tirado de si próprio com suas próprias mãos ao mel oferecido todos os dias pela bela branca de rabo, de bandas alvas.

A princesa deu o príncipe para a rainha esnobe, como pedido de desculpas, e frustração eterna. A rainha acabou tendo que se consolar com um vibrador que a princesa também lhe deu, e morreu por overdose de orgasmos poucas horas depois.

A princesa voltou a viver com os sete pauzões, e o nome [e a bunda] de branca de rabo, de bandas alvas, ficou famosa por aquelas bandas claras, claro. Ocasionalmente visitada pelo ceifador, Branca de rabo viveu gozando feliz para sempre.” Curioso o fato da princesa abandonar o príncipe. Isso deve ser algo raro. Seria uma boa pesquisa: “quantas mulheres no mundo abandonam o príncipe encantado vazio por pauzões e uma foice que te recheiam?”. Metaforicamente, claro.


DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

P.S.: Me vieram ideias sobre a rapunzel. Estou pensando nos tamanhos...

27 de março de 2012

Diário de Emonditte - A tortura!



Torturas precisam ser retribuídas. Mestre e serva (ou mestra e servo, ou deusa e anjo) precisam se complementar, pra tudo fluir e penetrar bem gostoso.
Eis que o Darukian PEDIU pra ser torturado. Por essa eu não esperava, putosfera. Não esperava mesmo. Eu estava tão bonitinha (e pura...) lendo no meu quarto quando ele vem entrando. Sim, entrando com vontade!!! Sem pedir permissão... Vocês bem sabem que não se bate na portinha de uma puta sem pedir, não sabem? E sabem o que acontece, não é?
Quão rude, minhas putinhas! Quão deselegante... Parece que ele veio com o intuito de ter uma fodinha rápida, dessas de puta novata, sem compromisso nenhum. Ele sabe como me excita instantaneamente, mas eu não queria isso.
Aproveitei essa oportunidade para uma revanche. Me torturou gostoso dias atrás, me deixou toda ensopadinha esperando ele, me contentando com o barulho dos meus dedos na minha bucetinha. Isso é maldade, sabia, irmãozinho? Eu te trato tão bem, te dou o melzinho de toda manhã... Não se faz isso. Não com Emonditte.
Que sorte de eu ter vindo ao mundo tão atrevida. Levantei da cadeira cheia de insinuações. Tasquei um beijo gostoso nele, desses de tirar o fôlego e atiçar o fogo. Um verdadeiro levanta-pau, ahahaha... E partimos pra cama. Ele já foi sentando e tirando a roupa.
Logo vi, putosfera! Eu estava com minha roupa da academia. Sim: aquele shortinho apertado que ele ADORA. Eu estava desde cedo com essa roupa, e só ignorando. Cheia de tarefas para fazer... quão ocupada uma puta-diva é! Sempre atendendo o seu macho com tanta elegância, tanta sedução! E se uma mulher faz tudo que o homem faz, de salto alto, uma puta-diva faz tudo que uma mulher faz. Rebolando...
Fiz um showzinho muito gostoso para meu macho. Sim, de látex mesmo.  Ele adora... Subindo e descendo, rebolando sempre, do jeitinho Emonditte. Eu conheço o mestre que tenho e eu sei os gostos dele. Para as putinhas novatas eu dou as dicas: rebolados longos e lentinhos, demorando em cada movimento... Darukian pira, novatas. Ele pira!!! Já não sei se é no meu rabo ou se é na arte do rebolado. Quem sabe a junção dos dois?
E SABEM O QUE EU FIZ, PUTOSFERA???
EU LARGUEI TUDO O QUE EU ESTAVA FAZENDO E FUI PRA ACADEMIA ASSIM MESMO! Cheguei perto dele, dei uma mordida bem gostosa no queixo dele, virei as costas, empinei o rabão e FUI.
...
...
E deixei ele lá de pau duro até agora, ahahahahaha!!!!

26 de março de 2012

CUriosidades CULturais


No japão amiga-irmã
É chamada de NAKAMA
Na cama a gente ama
 na mana a gente gama
A mana vira uma puta,
geme, mama e pede leite

No japão [pra o deleite]
 o leite é MIRUKU
E quem num engole? Aceite!

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

P.S.: Darukian, P.H.D. em CUltura sacroprofanos. Ou não, o que não faz diferença nenhuma. Gostou/Gozou? Vai tomar leitinho! Eu só [sou] MIRUKU, heh

25 de março de 2012

Frase do dia


Todo mestre tem o direito de punir. Toda puta merece ser punida. O que devemos levar em questão é que para a punição ser efetiva precisamos punir a "puta errada" no momento certo. Na intensidade certa. Do jeito certo. E a puta arde por fora e por dentro. Nunca mais será a mesma. Isso é ser assertivo. Assertividade Sacroprofana.

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

P.S.: Minha puta foi devidamente punida pela última puta errada dela. E a sua? Auto-flagelação não conta, heh.

Diário de Emonditte



Preciso compartilhar algo exótico que aconteceu comigo hoje, minhas putinhas...
Meu dia foi tão cansativo e eu estava reclamando o tempo inteiro. Tava parecendo uma vadia insatisfeita com o caralho de um macho. Só queria saber de dormir, e de rabão pra cima – talvez para meu irmão chegar e dar a rotineira espiadinha dele no meu quarto...

Depois de um banho bem demorado, eu entrei no meu quarto de toalha e lá estava ele: Darukian, me esperando de pé (e quando eu digo em pé, me refiro a tudo... tudo estava muito empinadinho, hahaha), com luvinhas pretas e uma roupa que deixou ele muito, muito sexy...

“Espero que isso te anime”... a voz dele estava igualmente sexy, rouca, um tesão. Me sentou na cama – parecia se segurar muito, porque eu tava só de toalha, né... – e começou a DANÇAR pra mim. Rebolou aquele rabão gostoso dele que tive muita vontade de agarrar e puxar pra mais perto. E aquele volume só crescia. Aqueles olhos me encaravam como se ele quisesse me comer. Me devorar de todas as formas possíveis. Eu cederia de qualquer jeito. Eu tava com muito tesão. Na verdade eu sempre tenho muito tesão pelo meu irmão, mas hoje, putosfera... Hoje tava DEMAIS...

Foi tirando a roupa dele enquanto dançava (fez o que eu tava me mordendo de vontade de fazer). Aquela cueca branca, ai... tava o maior tesão. Queria chupar aquele pau saliente em cima dela mesmo. E ele passava as mãos naquele volume, passeava de um jeito que eu já imaginava as mãos dele em mim. Sem falar nas coxas. Que coxas, minhas putas! Mas que coxas deliciosas meu irmão tem!!!! Babei pelas duas boquinhas.

Como eu consegui resistir tanto a tudo aquilo até aquele momento? Meu mestre gosta que eu seja bem boazinha e obediente. Mas aquilo tava muito gostoso... e vocês sabem como Emonditte tem fama de ser uma putinha muito atrevida e teimosa, não é? Não nasci para ser voyeur... Hahahaha... Deixei a toalha cair e ameacei passear com os dedinhos na minha bucetinha. Mas parece que quem não resistiu foi ele. Arrancou a cueca e passeou com as mãos pelo pau ali, bem na minha frente...

Foi andando até mim, e eu já sabia o que ele queria. Chupei meu irmãozinho bem gostoso, lá na beiradinha da cama. Mas ele nem esperou eu terminar. Foi se afastando com o pau latejando e sumiu nas sombras!

Ainda estou esperando aquele safado...

24 de março de 2012

Devaneios


Quando a sua irmã é puta
Provoca pra todo lado
Pede ajuda pra [o]caralho
 Só vive mostrando o rabo
Só anda querendo luta
Oferece duas fruta
(E me chupa até o talo)

Darukian, O Ceifador de Orgasmos

P.S.: Levemente hipnótico, não?

23 de março de 2012

Incesto na sexta - Parte III




E aí, pouco tempo depois passamos a não só estudar juntos em casa (na facul vocês não tem noção do que fazíamos), mas também trabalhar (na empresa e na cama. Todo dia). Empresa de família. Nós dois éramos estagiários ainda por que estávamos na facul, mas tínhamos uma sala própria que a mamãe nos concedeu (a mamãe era a chefe suprema. Nosso pai? Só os deuses sabem). Será que inconscientemente ela sabia do que estávamos aprontando e nos deu esse mimo de propósito? Ou será mesmo que ela tinha brechado e visto a maninha rebolando na minha pica num fim de tarde qualquer? É verdade que vez por outra ela parecia chegar em casa exatamente depois da gente gozar e se arrumar. Hmm...e só de pensar nas possibilidades e sussurrar no ouvido dela (a minha maninha tesuda) a gente já morria de tesão (é claro que a gente matava o tesão gozando bem gostoso depois).
Um dia, lá no trabalho, ela me veio com aquela papelada horrível que mandam pra explorarem os estagiários, e ainda tirando onda da minha cara, por que ela rodava mais pela empresa fazendo esse tipo de coisa e vez por outra trazia (mais) trabalho pra mim, que segundo ela ficava sentado no birô "like a boss".
- Seus papéis, chefinho - disse ela, me olhando por cima dos óculos (por que ela estava com os óculos se usava lentes há mais de 7 anos?), depois de ter chegado toda sexy no meu birô. Se ela tivesse visto o volume por baixo do tampo tinha caído de boca ali e esquecido qualquer tipo de papel. Até o higiênico que talvez seria usado pra limpar vestígios depois. Certeza (afinal ela sempre preferiu usar a própria língua). A gente dá tesão automático no outro, é incrível. Mal nos olhamos, estamos morrendo de tesão. Não é por isso que perdemos a pose. Não de imediato.
- Agradeço, secretária. Pode ir agora, preciso me concentrar. Vai, vai... - respondi. A gente capta rápido as brincadeiras e atuações um do outro. Saiu da sala rebolando aquele rabão enorme (ou seja, acabou com QUALQUER concentração que eu pudesse ter). Pra completar, parou na porta, ficou pra trás e piscou (e sei que ela não piscou só o olho da cara) e disse "até a volta, chefinho".
Terminado o expediente, eu sem cabeça pra mais nenhum papel (e com a cabeça de baixo logicamente pensando naquele rabo), vejo minha mana puta entrar na nossa salinha fechada (a mami pensou bem ao escolher nossa sala. Ninguém via ou ouvia nada depois que a gente trancava a porta. E foi a primeira depois que a mana fez depois de entrar). Mais sexy ainda, segurando uma bandeja com cafézinho. "Um cafézinho pro maninho se animar", disse.
- Ah, brigado...
- Maninho... - e pelo tom que ela pediu nem precisava dizer o resto - o leite acabou lá na dispensa, sabe... - meio manhosa, meio chorosa, sempre muito puta. - E eu to com uma vontade de tomar café com leite...ou creme...ou...
- Ou ambos. Eu sei bem que tipo de leite ou creme você quer... Vem pegar, secretária, pegar leite é teu trabalho.
Afastei um pouco a cadeira do birô e ela sentou com as pernas abertas no meu volume, de frente pra mim.
- Ok, chefinho... - e piscou de novo (eu quase senti. acho que vi ela dar uma vacilada, de tão forte que foi a piscada) em todos os lugares que podia piscar. E começou a roçar a xana no meu volume. Depois eu percebi a sorte de ter abaixado a calça antes dela sentar. A puta melou minha cueca toda. Imagina se a mamãe me pega com a calça cheia do melzinho da minha maninha? Ou a saia da mana cheia do meu leitinho? O que ela iria pensar da gente? Apesar de que comentar sobre isso deixou a gente com ainda mais tesão. Pois é... minha maninha putinha tava andando com uma saia de secretária e sem calcinha. As mulheres dizem que é pra não marcar. A gente sabe (pelo menos entre nós dois) que é pra não deixar de gozar. Era isso que ela tava implorando pra mim com aquele olhão sexy (e tratou logo de mandar o óculos pra primeira pilha de papel que encontrou). A gente se mata de tesão só nos encarando. E nos encaixando. E rebolando um no outro. Mas eu sempre gostei de torturar ela. Ela gosta mais ainda e finge que é uma puta que quer gozar logo. Doida pra ser contrariada pelo menos umas duas vezes, pra latejar mais forte e gozar mais gostoso. Abri a blusa dela e fiquei encarando os peitinhos da puta. E ela sem parar de rebolar no meu volume (essa é a "contra tortura" dela. Se eu não deixar ela rebolar aí sim é que a coisa fica feia. Tão feia pra o lado puritano da vida...tão tesuda pra o lado sacroprofano...aiai).
- Você quer leitinho? - e aí esperei o "aham..." de puta dela pra continuar. - Tá, mas antes eu vou mamar em você. Depois dou mamadeira pra minha maninha linda, heh. - e cai de boca nos peitinhos lindos dela. Não são dos grandes, mas o tamanho me agrada. Eu gozo, ops, eu gosto [gozo também]. Ela fala que não são o forte dela e sempre apela com o rabão (sabe que eu nunca resisto), mas eu gosto de aproveitar minha irmãzinha por inteiro, pedacinho por pedacinho. Mas como eu estava só torturando, cai de boca nos peitos dela só pra deixá-la com tesão a ponto dela não aguentar mais e querer leitinho cada vez mais. Ela mamou até tirar o leitinho que queria, botou no cafézinho dela e perguntou se eu queria rosquinha pra sobremesa. E eu não perdi tempo. Botei ela com o rabão empinado, apoiada no birô. Passei os dedos no cuzinho dela. Rocei a pica na entradinha dela. Ela rebolou um pouco. Eu cheguei no ouvido dela e sussurrei "Issssooo..." só pra sentir ela latejar feito doida na cabecinha (vocês precisam ter noção do quanto ela lateja quando eu falo "issoo..." no ouvidinho dela. Mas não terão por que a irmã é minha, heh). Quando ela começou a rebolar pra trás querendo me engolir e rebolar mais até gozar eu me afastei e guardei o pau. Fui embora e deixei ela lá muito puta. Em todos os sentidos ( e isso é uma tortura enorme pra mim, não só pra ela. Vocês não sabem a agonia que é sair de pau duro ou o trabalho que dá guardar. Dá um tesão ENORME...dá trabalho pra se controlar...mas compensa chegar em casa antes da mana e olhar pra ela 15 min depois implorando pra ser pega por trás com aquele rabão enorme rebolando só pra você...aiai...só de lembrar... Ah, o que eu fiz com o rabão? Nem te conto. Ou talvez eu deixe ela contar na próxima).

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

P.S.: Sou um péssimo irmão mais velho que dá péssimos exemplos, não acham?

22 de março de 2012

Sacroprofanação I


Puta boa nunca abusa
Abre a boca e se lambuza
No leite do mestre-macho

Fala "quero" nunca "acho"
Do fogo que rola embaixo
Ensopa-se nas faíscas

Iscas
Sacroprofanação
do cu do mundo da puta

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

21 de março de 2012

Mistérios de Darukian - XXXIV


Se perdeu o começo da putaria, clica aqui



XXXIV



Dizem que nos momentos de fúria é que mostramos a nossa verdadeira força. Se os humanos fazem coisas inimagináveis nesse momento, o que pode fazer o poder da fúria de um ceifador? Eu descobri depois de ser atacado por alguma poderosa succubus, que me forçou a um descanso antes de continuar aquele relato. Me pergunto se foi mesmo uma succubus, mas minhas perguntas não cabem agora.

“Duelo Sacroprofano. O verdadeiro poder de um ceifador.”

Me pergunto que parte desse relato os deixará mais espantados.

“A minha irmã estava vendada. E a culpa não era dela. Minha mestra foi enganada por um tipo muito vil de criatura. Um tipo que não merece ter seu nome mencionado nem aqui, nem em lugar algum, e usa de máscaras e artifícios para se disfarçar em que não é.

Disfarçado de ceifador, com o discurso de ser um membro perdido e antigo da irmandade sacroprofana, esse tipo de criatura vil enganou minha deusa conseguiu ocultar-se e ocultar-lhe os poderes. Duas vezes. Um ceifador não admite não admite ver sua senhora sendo feita de puta, a não ser diante de sua própria foice. E isso me deixou profundamente irritado.

A criatura vil não conhecia a ira de um ceifador. Me percebeu muito após eu ter percebido seu esquema asqueroso (do qual fui alertado por fiéis muito devotas), mas continuou subestimando meus poderes. Esse foi o seu erro fatal. Heh, o poder de um ceifador?

Tentou me afastar de minha senhora com desprezo e palavras postas na boca dela, palavras tão imundas quanto outras coisas, e a boca de minha senhora teve de passar por um ritual de purificação com muito leite depica após o ocorrido. Ela repete sempre, por precaução.

Afastado por minha senhora de meus deveres, recolhi-me nas sombras, e esperei o momento de atacar. A foice que entrou em ação não foi a que as minhas putas amam. E sim a que elas realmente tem medo. No espaçoso quarto de minha mestra ocorreu uma batalha de território.

- Não perco nenhuma batalha em que eu me meto – disse ele e sua suposta foice, seguido de coisas do tipo. Um discurso narcista e de desprezo total. Outro erro.
- É por que ainda não lutamos. Minha puta faz o que quiser, mas é minha puta, mestra e senhora. Uma criatura nojenta como tu deve pagar com 37 mortes pelo pecado de vendar seus olhos e ofuscar suas habilidades. Eu sou seu carrasco, e você não vai gostar de ser empalado por nenhuma de minhas foices, mesmo com sua munheca quebrada.

Quem sabe a munheca quebrada do inimigo não foi uma grande vantagem inconsciente?

Assim começou a batalha entre eu, ceifador e um suposto ceifador. A minha irmã disse que foi algo quase eterno e ela lembra de estar em torno de quatro [horas] e 69 [minutos]. Eu tive trabalho, e não teria vencido sem estratégia, pois ele também usava as dele.

A estratégia dele: jogá-la na parede, vendada. Jogar tudo na cara dela. Deixá-la culpada por tudo. Outro erro. Ela acordou na pancada.
A minha estratégia: Lembrá-la que eu sempre fui seu servo. Libertar os poderes que ela possuía e me energizavam. Me ajoelhar e implorar pelo seu retorno esplendoroso.

- Sou seu servo, e amo minha mestra e senhora. Por isso, apesar de respeitar sua decisão estou tentando dissuadi-la de tal loucura. Tu não viverias bem, e eu sofreria de morte eterna.

Até as criaturas amam. Amor Sacroprofano é o mais puto de todo, e por isso mesmo tem mais poder do que vários outros. Isso foi suficiente não apenas para ganhar a batalha como retalhar o inimigo. E alguns dos 37 retalhos do que sobrou de sua alma vagam por aí atormentando um ou outro. A mana-puta, mestra e deusa os ignora. Tem a minha proteção.

Após o muito tempo de 4 e 69, deixei minha puta respirar e beber quando leite depica precisasse para se recuperar. O trabalho de reeducação sacroprofana estava apenas começando, mas os sinais de que minha senhora estava recuperada, poderosa e feliz eram profundos como as sombras dos sonos sem sonhos.”

Seria o poder especial do ceifador o amor pela irmã, senhora e puta? Preciso analisar novamente esse trecho. Mas alguma voz me diz antes para fazer um novo ritual e uma descrição detalhada da irmã do ceifador.

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

P.S.: Vou soltar uma "informação confidencial", como costuma dizer o poeta exótico. A descrição da Emonditte já foi feita em um capítulo anterior. Se gostou/gozou, clique nos +1 e curtires da vida, goze sem moderação e comente como foi. Faça o que quiser, a arte sacroprofana é liberdade.

19 de março de 2012

Diário da Emonditte - IV


Agora que a puta está onde eu gosto [de quatro, apesar da imagem, que vocês entenderão jajá], vou parar por aqui. Essa é a primeira rabiscada da Emonditte (a primeira siririca literária. o primeiro orgasmo dela. Eu sei como ela goza), e traz o essencial do derretimento dela pelo ceifador. Pasmem: não é a foice.

I
janelas da alma -
teus olhos PENETRANDO
em mim

Emonditte
 
Curioso, né? Uma tara nossa, do tamanho do rabo da Emonditte e da foice do Darukian JUNTOS são os olhares um para o outro. É uma guerra particular pra ver quem faz o outro piscar [e latejar] primeiro usando o poder dos olhares. Se você gosta/goza desse tipo de poder, dá aquela clicada nos +1 e curtires da vida e conte sua experiência com os olhos da cara ou do cu. O importante é aproveitar cada piscada, afinal eu sou o tesão. Pode chamar de 'prazer', por que eu sou todo seu em conhecê-la, minha puta leitora. heh

P.S.: Se houverem novos escritos do diário da minha irmãzinha puta eu aviso a vocês. Ou mando ela vir gemer os detalhes sórdidos? Dúvida interessante...como preferirem, Ok?

18 de março de 2012

Diário da Emonditte - III

 
Tem uns relatos inúteis sobre alguém inútil que ela teve vergonha de mostrar, então pulamos para algo mais antigo... mais essencial na nossa relação. Um ótimo tipo de tortura.

Desejo infindo


Não vá embora agora.
Se o luar permitir
Lhe arranco mais um gozo,
Não se arrependerás.

Não vá embora agora.
Não me deixe em desejos,
Latejando por ti,
Envolta em sensações.

Os poderes do sexo
Conheces muito bem,
São vícios, dependências.

Portanto não se vás
Tenho orgasmos sobrando,
Libidos a curar.

Emonditte
 
Isso faz parte da terapia de uma puta. A ameaça de deixar ela antes da satisfação completa trazia [e ainda traz] mais prazer pra Emonditte. Ela gosta muito. Goza muito também. É uma espécie de quase masoquismo de algumas putas. Por isso algumas nunca largam o macho que as larga antes. Eu disse que ela não escreveu muito, então só existe mais um escrito pra mostrar. O mais essencial, e curiosamente o primeiro.

P.S.: Gostou? Gozou? Sai clicando nos +1 e curtir da vida aí, que jajá tem mais. Se quer gozar mais, senta na minha...cadeira e fuça o arquivo!

 

17 de março de 2012

Incesto na sexta - Parte II


Eu já sabia que o meu irmãozinho não estava totalmente satisfeito depois daquela sexta. Foi muita maldade minha provocá-lo sem ele poder me comer bem gostoso... A partir daquele dia, ele começou a me olhar com outros olhos. Chamarei aqui de olhos de “quero mais”. Sei que eu deixei nele um desejo de ir além, de me descobrir. Nos almoços em família ele sempre me pedia para que eu servisse o prato... Como se ele quisesse me dizer na frente dos nossos pais o que eu realmente era pra ele: sua serva. Sua puta. E também, ele adorava uma oportunidade de olhar o meu decote. Eu fazia questão de não usar nada embaixo das minhas blusinhas soltas...
Nossas aulas começaram na segunda, e ele sempre faz questão de me proteger e me deixa na porta da minha sala de aula. No caminho, ele sempre joga suas indiretas gostosas que me deixam pensando nele a aula inteira. Hoje pegamos o corredor vazio – parecia que ele me acordou cedo só pra chegarmos antes de todo mundo. Fui dar, como sempre, um beijinho no queixo dele. Pois ele não deixou: segurou meu rosto bem forte, me apertou contra a parede pra eu sentir o seu volume (sim, o tesão começa cedo lá em casa) e sussurrou:
- Hoje a gente vai matar a última aula. Tô te esperando na portaria, maninha... – e soltou um suspiro no meu pescoço, porque ele sabe que eu sempre me arrepio.
- Mas eu não poss... – ele não me deixou terminar. Agarrou meu rabão com as duas mãos, deu um tapa e saiu andando.
Fiquei sem reação. Boquiaberta. E por que ele queria que eu matasse a última aula? Não consegui me concentrar a manhã inteira. Aliás... quase inteira. Resolvi fugir e foi uma loucura desviar de todo mundo, pra ninguém perceber a audácia. Encontrei meu irmão encostado na portaria. Me chamou com um gesto que eu odeio – já disse aqui que meu irmão é meio bruto e meio doce ao mesmo tempo? É algo exótico e totalmente delicioso, ainda que não pareça delicioso – mas eu não me importei na hora, não sei por quê... e fomos pra casa.
- Por que estamos fazendo isso, maninho?
- Você vai saber. E não vai se arrepender... – e ele deu aquele sorriso que eu adoro e que me enche de tesão.
Fui. O sorriso dele me transmitiu a maior segurança possível. Não senti nenhum remorso ou culpa. Parecia que ele estava me guiando para o caminho certo. E fomos lado a lado. No mesmo caminho de casa. Cheguei lá, joguei minha bolsa no quarto e perguntei o que ele tanto queria . Ele não me respondeu. Seu olhar penetrou em mim como um pau duro penetra numa xaninha molhada. E algo me dizia que era exatamente isso que estava prestes a acontecer...
Ele foi pro quarto dele. Eu não entro muito no quarto dele, porque geralmente é uma bagunça e eu sou muito fresca. Mas naquele dia eu não me importei com a bagunça ou qualquer outra coisa. Eu só queria ele, só pensava nele. Imaginava coisas. Ele olhou pra mim e ordenou:
- Vai fazer tua tarefa, Emonditte.
Obedeci, enquanto ele deitou na cama e começou a ler um livro. Sentei na cadeira dele e coloquei as pernas na escrivaninha pra apoiar meu caderno nas coxas. Sem querer, meu vestidinho desceu e mostrou tudinho, sem querer... aliás, era isso que eu queria: provocar. Mas a gravidade foi muito espontânea comigo.
Eu percebi os olhinhos dele acima do livro. Ele não estava concentrado:
- Eu estava querendo dizer OUTRA tarefa... a tarefa de me dar prazer, de me encher com seu tesão e eu te encher com o meu.  A sua tarefa de boa puta, de puta obediente, porque é isso que você é, maninha... – ele se levantou da cama e afastou meu cabelo do rosto - ...ou você se esqueceu daquela sexta? Também acha que faltou alguma coisa?
Eu não resisti. Aquilo me deu tesão demais. Aquela putaria passava pela minha cabeça naquela hora. Eu já sentia minha buceta latejar, pedindo o pau do meu irmão descontroladamente. Não resisti, e minha calcinha molhava me entregava. Eu queria dar. Eu tava doida pra dar prazer pro meu irmãozinho. E ainda resolvi tirar onda...
- Noooossa! – Dei uma risada safada. – Não precisa nem implorar, Darukian. Eu sou louca por você. E tô louca pra dar pra você, não é de hoje. Quero muito fazer putaria hoje, encher meu corpo com seu gozo e ser fodida sem parar.
Dava pra ver o tesão fluindo pelo corpo dele... Parecia que ele roubou os arrepios de mim. Derrubei tudo da cama. Livros, cadernos, os óculos dele. Eu queria só nós dois. Fui tirando a roupa do meu irmãozinho e não agüentei me segurar: fui caindo de boca naquele cuzinho molhado dele. As putas normais caem de boca na pica, mas a principal... ah... a principal tem direito a brincar com o cuzinho do Darukian. E eu esnobo mesmo: É MUITO GOSTOSO! Brinquei com minha linguinha frenética que ele tanto gosta.
- Sentiu falta disso da primeira vez, safado? – Perguntei entre linguadas.
Ele não respondeu. Parecia que eu tirava meu irmão do eixo usando só a língua. Minhas mãos pequenas seguravam a bunda gostosa dele, e ele só pensava em arfar e gemer bem alto. Queria gemer para o mundo inteiro ouvir que a irmã é uma puta safada e que sabe, como ninguém, provocar gostosinho...
Mas esse não era o nosso objetivo principal. Nós nos olhamos e já sabíamos o que queríamos. Ele sentou e passou a mão no pau gostoso dele. Sentei em cima e encaixei só a cabecinha na minha buceta. Nós dois estávamos latejando rápido, famintos um pelo outro. Resolvi não provocar muito dessa vez, até porque eu não conseguiria provocá-lo naquele estado. Rebolei gostoso para o pau entrar todinho, e o rebolado dele também ajudou. Ah, como o meu irmão rebola gostoso... Quando estocou lá no fundo foi uma explosão de tesão. Gritamos, nos arranhamos e rebolamos muito um no outro. O meu irmão tava um tesão... Dessa vez ele parecia um servo e eu sua dominatrix. Olhando-o de cima, roçando os biquinhos dos meus seios na boca dele. E o nosso rebolado – com certeza é de família, só pode – se encaixou perfeitamente.  Ele gemia cada vez mais alto e dizia, faltando fôlego:
- Isssssssssssssssso... – E ele sabe que isso me mata de tesão, e faz por querer...
Por final, ele gozou bem quente e gostoso dentro da minha bucetinha ensopada. Me levantou com cuidado pra ver o leitinho saindo de mim. E esse estado pós-orgasmo dele, ah... me deixou louca.
Estávamos preparados para seguirmos para o rabão, quando ouvimos a maçaneta da porta principal e um barulhinho de chaves. Mamãe tinha chegado! Meu irmãozinho foi vestir a roupa rápido enquanto eu peguei meu vestido, escondi a calcinha embaixo da cama dele e fui junto. Puxei o braço dele e ficamos lá embaixo, trocando um monte de beijos e mordidas até a hora do almoço, depois conseguimos nos safar dessa...
E, apesar de estar muito escuro, dava pra sentir a alma dele. Profundamente extasiada e cheia de tesão por mim.

Emonditte

Mistérios de Darukian - XXXIII

Perdeu o começo da putaria? Clique aqui

XXXIII

As revelações sobre a Emonditte foram bem...reveladoras. Foi importante para situar alguns outros relatos. Esse, por exemplo, parece uma das explicações do ceifador para sua irmã “sem memórias”. Esse relato situa o lado do ceifador.

“De lado. Lado Sacroprofano do mundo.”

Isso me lembrou uma certa propaganda. E seria bizarro ver em qualquer canal [mesmo em um pornô] frases como “viva o lado sacroprofano da vida”/”goze o lado sacroprofano do mundo” ou algo do tipo. O relato, que passa longe de falar de refrigerantes, segue-se assim:

Diário da Emonditte - II



Continuando a arregaçar o diário da minha puta, uma notinha rápida que tem um ensinamento maior que a minha foice.


III

todos os problemas
se evaporam do corpo
no gozo.

Emonditte
 
P.S.: Suspeito que ela quis fazer um Haikai, mas na hora dos gemidos a única métrica que ela acerta é quantos cm de foice entram e saem.


16 de março de 2012

Diário da Emonditte - I


 
E aí, putosfera? Como a puta tá ocupada lustrando a minha foice pra gente por ainda mais fogo nessa porra, resolvi abrir o diário dela. As pernas se abrem quando eu quiser. O rabão também.O diário, também. Surpreendentemente, não achei muita coisa. Isso comprova que apesar do grande multitalento ela prefere dar a escrever, como uma boa puta. Como puta versátil, faz um pouco de tudo que o mestre ordena. Mas para verem como era uma puta indecisa antes do conselho do irmão mais velho, mostro o seguinte escrito.


Puta de dois machos

Sou uma puta de dois machos:
Enquanto um vai trabalhar,
O outro já entra em cena
Co'o cacete a latejar.

Sou uma puta tão traíra
Que enquanto um dos machos sai,
Vêm os vizinhos falando:
"Agora é que a casa cai..."

Mas cai. Cai com muita força,
Com tanta festa na cama
E tanto gozo escorrendo

Que aí chega meu patrão
Perguntando por sua dama
E um dos machos sai correndo...

Emonditte


Vou postar de trás pra frente. Afinal, nossa história é por trás. Por trás a gente goza gosta muito. Não tem muitos escritos no diário dessa puta, mas vocês vão gostar/gozar do que lerem. E em breve [ounão], viremos com nosso sexo tântrico sacroprofano em dueto. Vocês vão delirar. Enquanto isso, se contentem com os relatos de uma puta mostrados pelo seu macho. Imaginando que eu estou mostrando pra vocês o rabão redondinho e aberto, arrombado por mim, escorrendo, vocês podem ter uma noção melhor. Estou só mostrando. Ela já mediu minha foice, e nunca mais vai ser uma puta de dois machos. Emonditte é a puta irmã de um ceifador de orgasmos. Só minha, heh. Aproveitem a viagem, e gozem sem moderação.


DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS


P.S.: Eu era o que satisfazia ela. Meu poder desde sempre fazia a casa cair, a foice levantar e a irmãzinha puta gemer pra os vizinhos ouvirem, heh. Se gostou/gozou saiam clicando nos +1/curtir da vida e deixem aquele comentário contando como, quando, e por quê. Se foi gostoso...se quer mais...o que quiser. Eu sou o tesão, e você terá todo o prazer quando eu te atender.

15 de março de 2012

Arte Sacroprofana


A Arte Sacroprofana
Das fotos da sua xana
Pode até dar muita grana
Mas é preciso cuidado
Mostra o meu alvo-rabo
Que arrombo toda semana.

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS



14 de março de 2012

Dia Nacional da Poesia




E aí putosfera, gostando/gozando muito da vida? A Ana Casada Safada Tarada, que é quem sabe das datas todas postou ontem sobre o Dia Nacional da Poesia. Confiram direito aqui, afinal informação comigo é sempre torta e melada. Pois é, é Hoje. Parabéns aos poetas todos que adoram ficar masturbando as canetas, penas e teclados e gozam muitas poesias na net, nos papéis, nos saraus, nessas porras todas. E como hoje também é uma data especialmente sensível para os poetas exóticos que criaram o Darukian e a Emonditte, ele, o ceifador de orgasmos, resolveu deixar aquele poeminha cheio de falatório sacana, como sempre.





Autopsicografia Sacroprofana

O poeta é um batedor
Bate tão freneticamente
Que chega a fingir que há dor
Na mão que já jaz dormente.

E os que chupam o que ele ferve
Veem nas batidas bem
As gozadas que ele escreve
As que o leitor não tem

E assim, nas camas de mola
Rebola, a entreter, um rabão
(Montado na lapa de rola)
 Que agasalha o coração.

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS


P.S.: A primeira puta vai gostar/gozar da hoMENAGEm, na sua opinião? Por que? Deixe suas impressões, gemidos e expressões nos comentários

13 de março de 2012

O ciclo preferido das putas

A poesia vibra
Dentro das putas
E gozos di.versos correm
Melando seus grandes seios
Colados em lábios de mel,
Lábios de macho ceifador...
E a brisa fria da noite
Arrepiando o sexo dos sexos
Desembrulhando orgasmos
Torna leve o rebolado.
O tesão move corpos...
Suor! Calor efervescente!
Xana por pica sedenta,
Cheiro gasto de amor!
Êxtase absoluto!
Gemidos que enchem 
O quarto de prazer!
Rebolados frenéticos em conjunto!
Mãos sempre ativas e ligeiras!!!!
(CARALHO, QUE TESÃO!!!!!!)

...

E o gozo vem, com a calmaria
E o ciclo nunca se acaba.
(Só a puta é que se acaba
Aos braços de um servo bonzinho).

Emonditte.
PS: Um recadinho meu para a putosfera. É o seguinte, minhas gostosas. Eu e o Darukian concordamos com uma pequena troca de posições (hehehe)... Eu vou trazer as delícias do meu antigo blog, Pequenos Prazeres, para cá. Será que as putas vão resistir? Eu só acredito vendo. Carícias da sua amiguinha...

Nó cego


- Eita nó cego!
- Cu'dequem, do ego?
- Sei lá, meu bem

"Tô amarrado a alguém"
"Não veja só com desdém"
"Caia de boca e além"
"Goze sem saber com quem"
"Heim?"
"Eu tô assim, môfi, vem!"

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

P.S.: Por sinal, amarração interessante. Alguma dupla voluntária pra testar se funciona na vida real? "Ninguém..."
E aí, Gostou/Gozou? Agora é só curtir: https://www.facebook.com/MisteriosDeDarukian (se puder e quiser, claro)

12 de março de 2012

Mistérios de Darukian - XXXII

XXXII




Confesso que me senti quase um ceifador. Me esgueirei pelas sombras e procurei informações nos becos mais obscuros. Perdi muito tempo procurando, e finalmente achei algo sobre a Emonditte. Algo totalmente inesperado. Se eu fosse um repórter teria o furo do milênio.

“União Sacroprofana. Mestra e serva do Darukian”

Que tipo de união? ‘Mestra e serva...’. Se eu soubesse a importância daquilo teria prestado 7 tributos a deusa antes de revelá-la ao mundo.

“Confesso que me senti quase um animal. Quase um mortal imundo. Me esgueirei pelas sombras e procurei informações nos becos mais obscuros. Perdi muito tempo procurando, e finalmente achei algo sobre a minha irmã.

Minha irmã sempre foi esguia, e tinha a mania de passar leite de pica no rabo enorme e redondo para não ser pega [e pra dar. Aham, dar aquela lustrada. Ela sempre dá]. Claro, eu sempre acho e pego quem eu quero. Algo totalmente normal. Antes de tudo, vou matar sua curiosidade [seu cu é o próximo]: Quem é Emonditte?

Emonditte é a deusa verdadeira, evoluída, madura, na forma mais rabuda e tesuda. A deusa é Emonditte. Lilith não existe mais, a não ser nas lendas e em lugares que não conheço. Lilith era uma deusa possessiva e imperfeita. Lilith é uma parte de Emonditte.

Emonditte é inteiramente de Darukian, e Darukian é inteiramente de Emonditte. Emonditte é a personificação mais rabuda da deusa, que’ despertou’ o Darukian e curvou-se diante do poder de sua foice. Curvada, disse ‘sou sua serva. Faça de mim o que quiser’.

Eu fiz. A deusa é minha irmã, e somos o mesmo, apesar de sermos dois. Somos iguais sendo diferentes. Ela é minha mestra, eu sou seu servo, mas sempre podemos trocar de posição quando o tesão mandar.

A deusa finalmente encarnou com o rabo carnudo da Emonditte, e logicamente, o trabalho de transportá-la, protegê-la, e arregaçá-la [se bem que esse item não dava trabalho nenhum] era todo meu, até ela resolver sumir.

Encontrei-a algum tempo depois, sem memórias, amordaçada, amarrada e hibernante. Não no modo BDSM [o que seria um tesão], e sim no modo metafórico [o que é um saco]. Ela não lembrava de nada. Literalmente nada. Se contentava com uma foice qualquer. E eu tive o trabalho de ensinar o que é uma foice de verdade e todo o resto pra minha irmãzinha, assim que ela acordou.

Todas as Artes Sacroprofanas foram revividas e relembradas, uma por uma. De ‘ajoelhar e chupar’ a ‘zenten, que rabo é esse!’. O que ela mais gostava [e onde ela mais gozava] era a foice. Ela amava lustrar a foice, pegar a foice, brincar com a foice, fazer o que quiser com a foice, e fazer a foice sumir, principalmente. E nenhuma sabe dessa arte tão bem quanto a minha irmã.

“O Darukian tá apaixonado”? Não. O Darukian está em êxtase. Junto sua primeira puta, ele fica mais poderoso. Os poderes de ambos aumentam exponencialmente quando a foice e sua bainha estão juntos. E quando os dois ceifadores de orgasmos mais poderosos saem pra caçar...

Logicamente, antes disso, eu tive muito trabalho. Usei todos os meus poderes para acordar a puta e livrá-la das amarras, vendas e cordas podres. Logicamente, fui muito bem recompensado. Mas não é algo que irei contar aos mortais. Não agora, pelo menos. Precisamos passar um tempo ceifando orgasmos. Ceifamos orgasmos das putas fiéis aos ensinamentos sacroprofanos para o nosso deleite. Já os nossos, são apenas um do outro. Nossa noite de sexo começou. Pra aquecer, uma rapidinha chamada ‘eternidade’. Cuidado com os rabos, minhas putas. A foice está mais afiada do que nunca.”

Ainda haviam algumas páginas de escrito, talvez contando detalhes de como Darukian e Emonditte saem para ceifar orgasmos. Ainda sobram perguntas, sempre. Coisas como: Existe mesmo a Emonditte? Então, quem diabos era a Lilith e aquela história toda dele ser criado pela luxúria? Qual das deusas é a verdadeira deusa? A Lilith ou a Emonditte? Quem é a mesma do Darukian? Talvez eu me arrependa dessas perguntas um dia, mas elas precisavam ser feitas. E eu preciso buscar respostas.

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS


P.S.: E aí, putas? Gostaram? Gozaram? Pois é, voltei com uma primeira puta. O que não quer dizer que eu vá deixar de solicitar suas gostadas e gozadas por aqui. Comentem, cliquem na porra do +1, façam o que quiserem, só não esqueçam de gozar muito [a vida]!

11 de março de 2012

Darukian no Face?

Não, mistérios de Darukian no face. Isso vai estragar os corações de algumas, mas... lembrem-se que o Darukian é um personagem criado por mim, 'poeta exótico'. Resolvi que já tava na hora de criar uma página para o blog. Fiz. Coloquei 'mistérios de Darukian' por que vai ser o 'carro chefe'. Se alguém já tem algo do tipo no face, preciso seriamente de dicas e conselhos pra não expulsarem o Darukian de lá do nada, por que vocês sabem como o povo do facebook é.

Então, a página é essa: https://www.facebook.com/MisteriosDeDarukian

Conto com o apoio de vocês ;)

O poeta

Agora que o poeta deu o aviso chatíssimo que partiu o coração das minhas putas leitores preferidas, eu relembro uma coisa que vai alegrá-las: Capítulo novo dos mistérios de Darukian em breve.

10 de março de 2012

Filosofia Sacroprofana: Masturbação Literária


  Olá, putosfera. Aham, eu voltei. Tenham medo e cuidem dos seus rabos (se a a srta. possuir algum nível de preguiça ou achar mais confiável, eu posso cuidar de seu rabo por você, heh). Passei dois meses caçando a puta da minha irmã, que tem uma mania filha das trevas de passar óleo de leite de pica no rabo. Então mesmo sendo um rabão enorme e redondo fica difícil de catar. Logicamente, o difícil não é impossível e eu tenho poderes suficientes pra fazer a puta se ajoelhar e chupar.
  Bem, não é esse assunto que vim tratar agora, vocês ainda vão ter muito tempo pra ficar de saco cheio e testículo vazio com nossas brincadeiras incestuosas. Venho após esse tempo de reclusão sacroprofana (ordenado pelas deusas do sexo) trazendo uma breve verdade de uma discussão filosófica com a minha primeira puta, Emonditte. Filosofia Sacroprofana surge nos momentos mais inusitados. Ontem ela apareceu por aqui, gulosa, apressada, ávida, enfim, safada ao extremo (como sempre, e como de novo) e deixou sua postagem. E falou pra mim depois 'hora da sua punhetinha literária'. E começamos a refletir sobre o tema, que saiu da boca dela tão facilmente quanto os gemidos de quando ela se aproxima demais da foice. Resolvemos ir a fundo no assunto, algo que apreciamos. E chegamos a seguinte conclusão: o escritor é um masturbador, finge que tem muita puta e acaba no ardor do tesão de sua labuta de escrever sem amor. Ok, isso foi muito gay, mas vamos explicar. Quando escrevemos junto de alguém (um dueto) é uma espécie de sexo que gera um filho bonitinho, um textinho harmonioso ou horrível. Quando se escreve sozinho é que nem uma punhetinha pra matar a vontade. Ela disse que bateu uma siririquinha e queria que eu batesse umazinha também antes da gente ir pra nossa orgia eterna mesmo, sabe, pra aquecer e coisa e tal. Pois é, seus putos, a moda agora é fazer orgia literária, a porra da arte [e na arte também] ficou séria e é livre. Masturbem suas canetas até gozar um texto, façam a dois, façam swing, façam uma orgia, bdsm ou como preferir. Seja aquele corno manso e se orgulhe da mulher masturbando um textinho gostoso pra os espectadores. O que acharem melhor. O importante é gozar, digo, gostar de escrever. Se goza gosta, escreva. Se não, leia. Se não gostar de ler, aí tá foda por quê você não serve nem pra ser vouyer, heh. É isso aí putosfera, hora de começar a gozar mais! E gostar também. Que venham as letras, os orgasmos e tudo mais, por que o Sexo, as Sombras, e o lado inverso das Letras voltaram de uma peregrinação cheios de tesão.

Darukian, o Ceifador de Orgasmos
P.S.: Gostou, Gozou? Clica na porra do mais um e espera um pouco que essa porra ficar ficar ainda melhor.

9 de março de 2012

Primeira Dama da Putaria Sacroprofana

Psiu... Ei, ei, putosfera. Ei, meu harém. Venho sem a autorização do meu mestre. Sim: quem vos fala é Emonditte, a irmã mais nova do Darukian. A famosa putinha travessa que adora ser punida e nem liga para os mandos do seu mestre. E, ao mesmo tempo, a deusa do sexo, a rainha, a Primeira Dama. Endurece o pau gostoso do Darukian e faz o que quiser com ele. É, essa sou eu. E vocês devem estar se perguntando: "o que essa vadia tá fazendo aqui?".

Puta faz putaria e macho se conquista com o rabo. Acontece que eu e meu irmãozinho adoramoooos um incesto, e assim as coisas foram rolando muito rápido entre a gente. Eu, puta que sou, pertencia a dois machos exclusivamente... Mas não resisti aos encantos do Darukian. Ê, maninho gostoso que eu tenho... E deu no que deu. Agora somos um só. Conectados como uma bucetinha molhada e uma pica latejante. Como dois corpos envolvidos num só calor. Num suor gostoso, de tanta cavalgada e dirty talking.

Mas não é porque o Darukian é meu macho que eu não vá compartilhá-lo com vocês. Toda puta tem direito a uma pica gostosa. Mas eu vou estar sempre lá, acompanhando cada foda e cada gozo, com minha tacinha de vinho na mão (vinho branco forte, do jeito que a gente gosta). Se a putinha for muito gostosa (eu sou muito exigente com minhas meninas), rola até competição. Isso aqui vai ficar um tesão que só.

Agora preciso de ideias das minhas mais novas leitoras. Minhas putas... Quero tanto agradecer o Darukian, preciso de sugestões. Digo já: tenho uma lapa de bunda deliciosa. Algo a fazer com ela? Praticar a doce arte Emondittística do rebolado? Estou esperando por vocês, minhas lindas.

Beijo forte, uma chupada e uma mordidinha, assim, bem de leve, que é pra abrir as pernas... e devorar mais tarde.

Emonditte.
PS: Na foto, a da esquerda é uma puta madura que me dá umas dicas gostosas, sabe? Hehehe...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...