Por: DARUKIAN, O Ceifador de Orgasmos e sua Primeira Puta das Artes Sacroprofanas, Emonditte. Seres sem rosto nem forma, que tem como único propósito te fazer gozar muito (a vida).

Seguidores dos instintos

10 de março de 2012

Filosofia Sacroprofana: Masturbação Literária


  Olá, putosfera. Aham, eu voltei. Tenham medo e cuidem dos seus rabos (se a a srta. possuir algum nível de preguiça ou achar mais confiável, eu posso cuidar de seu rabo por você, heh). Passei dois meses caçando a puta da minha irmã, que tem uma mania filha das trevas de passar óleo de leite de pica no rabo. Então mesmo sendo um rabão enorme e redondo fica difícil de catar. Logicamente, o difícil não é impossível e eu tenho poderes suficientes pra fazer a puta se ajoelhar e chupar.
  Bem, não é esse assunto que vim tratar agora, vocês ainda vão ter muito tempo pra ficar de saco cheio e testículo vazio com nossas brincadeiras incestuosas. Venho após esse tempo de reclusão sacroprofana (ordenado pelas deusas do sexo) trazendo uma breve verdade de uma discussão filosófica com a minha primeira puta, Emonditte. Filosofia Sacroprofana surge nos momentos mais inusitados. Ontem ela apareceu por aqui, gulosa, apressada, ávida, enfim, safada ao extremo (como sempre, e como de novo) e deixou sua postagem. E falou pra mim depois 'hora da sua punhetinha literária'. E começamos a refletir sobre o tema, que saiu da boca dela tão facilmente quanto os gemidos de quando ela se aproxima demais da foice. Resolvemos ir a fundo no assunto, algo que apreciamos. E chegamos a seguinte conclusão: o escritor é um masturbador, finge que tem muita puta e acaba no ardor do tesão de sua labuta de escrever sem amor. Ok, isso foi muito gay, mas vamos explicar. Quando escrevemos junto de alguém (um dueto) é uma espécie de sexo que gera um filho bonitinho, um textinho harmonioso ou horrível. Quando se escreve sozinho é que nem uma punhetinha pra matar a vontade. Ela disse que bateu uma siririquinha e queria que eu batesse umazinha também antes da gente ir pra nossa orgia eterna mesmo, sabe, pra aquecer e coisa e tal. Pois é, seus putos, a moda agora é fazer orgia literária, a porra da arte [e na arte também] ficou séria e é livre. Masturbem suas canetas até gozar um texto, façam a dois, façam swing, façam uma orgia, bdsm ou como preferir. Seja aquele corno manso e se orgulhe da mulher masturbando um textinho gostoso pra os espectadores. O que acharem melhor. O importante é gozar, digo, gostar de escrever. Se goza gosta, escreva. Se não, leia. Se não gostar de ler, aí tá foda por quê você não serve nem pra ser vouyer, heh. É isso aí putosfera, hora de começar a gozar mais! E gostar também. Que venham as letras, os orgasmos e tudo mais, por que o Sexo, as Sombras, e o lado inverso das Letras voltaram de uma peregrinação cheios de tesão.

Darukian, o Ceifador de Orgasmos
P.S.: Gostou, Gozou? Clica na porra do mais um e espera um pouco que essa porra ficar ficar ainda melhor.

4 comentários:

  1. A putosfera não é a mesma sem você. Que bom que esta de volta, seja bem vindo.

    ResponderExcluir
  2. É muito bom te-lo de volta!!!
    Mas explica melhor essa história com sua irmã?!?
    Que tesão!!!
    Abraços.
    Fe, marido da Fa

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida.. fez mta falta esse tempo que ficou afastado...

    bjs

    Cris e Junior

    ResponderExcluir

Agradeço por ter lido, mas há outra coisinha que quero que você faça. Responda: Gostou? Gozou? Então caia de boca na minha...caixa de comentários e libere tudo que quiser jorrar, com muita indecência!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...