Por: DARUKIAN, O Ceifador de Orgasmos e sua Primeira Puta das Artes Sacroprofanas, Emonditte. Seres sem rosto nem forma, que tem como único propósito te fazer gozar muito (a vida).

Seguidores dos instintos

23 de março de 2012

Incesto na sexta - Parte III




E aí, pouco tempo depois passamos a não só estudar juntos em casa (na facul vocês não tem noção do que fazíamos), mas também trabalhar (na empresa e na cama. Todo dia). Empresa de família. Nós dois éramos estagiários ainda por que estávamos na facul, mas tínhamos uma sala própria que a mamãe nos concedeu (a mamãe era a chefe suprema. Nosso pai? Só os deuses sabem). Será que inconscientemente ela sabia do que estávamos aprontando e nos deu esse mimo de propósito? Ou será mesmo que ela tinha brechado e visto a maninha rebolando na minha pica num fim de tarde qualquer? É verdade que vez por outra ela parecia chegar em casa exatamente depois da gente gozar e se arrumar. Hmm...e só de pensar nas possibilidades e sussurrar no ouvido dela (a minha maninha tesuda) a gente já morria de tesão (é claro que a gente matava o tesão gozando bem gostoso depois).
Um dia, lá no trabalho, ela me veio com aquela papelada horrível que mandam pra explorarem os estagiários, e ainda tirando onda da minha cara, por que ela rodava mais pela empresa fazendo esse tipo de coisa e vez por outra trazia (mais) trabalho pra mim, que segundo ela ficava sentado no birô "like a boss".
- Seus papéis, chefinho - disse ela, me olhando por cima dos óculos (por que ela estava com os óculos se usava lentes há mais de 7 anos?), depois de ter chegado toda sexy no meu birô. Se ela tivesse visto o volume por baixo do tampo tinha caído de boca ali e esquecido qualquer tipo de papel. Até o higiênico que talvez seria usado pra limpar vestígios depois. Certeza (afinal ela sempre preferiu usar a própria língua). A gente dá tesão automático no outro, é incrível. Mal nos olhamos, estamos morrendo de tesão. Não é por isso que perdemos a pose. Não de imediato.
- Agradeço, secretária. Pode ir agora, preciso me concentrar. Vai, vai... - respondi. A gente capta rápido as brincadeiras e atuações um do outro. Saiu da sala rebolando aquele rabão enorme (ou seja, acabou com QUALQUER concentração que eu pudesse ter). Pra completar, parou na porta, ficou pra trás e piscou (e sei que ela não piscou só o olho da cara) e disse "até a volta, chefinho".
Terminado o expediente, eu sem cabeça pra mais nenhum papel (e com a cabeça de baixo logicamente pensando naquele rabo), vejo minha mana puta entrar na nossa salinha fechada (a mami pensou bem ao escolher nossa sala. Ninguém via ou ouvia nada depois que a gente trancava a porta. E foi a primeira depois que a mana fez depois de entrar). Mais sexy ainda, segurando uma bandeja com cafézinho. "Um cafézinho pro maninho se animar", disse.
- Ah, brigado...
- Maninho... - e pelo tom que ela pediu nem precisava dizer o resto - o leite acabou lá na dispensa, sabe... - meio manhosa, meio chorosa, sempre muito puta. - E eu to com uma vontade de tomar café com leite...ou creme...ou...
- Ou ambos. Eu sei bem que tipo de leite ou creme você quer... Vem pegar, secretária, pegar leite é teu trabalho.
Afastei um pouco a cadeira do birô e ela sentou com as pernas abertas no meu volume, de frente pra mim.
- Ok, chefinho... - e piscou de novo (eu quase senti. acho que vi ela dar uma vacilada, de tão forte que foi a piscada) em todos os lugares que podia piscar. E começou a roçar a xana no meu volume. Depois eu percebi a sorte de ter abaixado a calça antes dela sentar. A puta melou minha cueca toda. Imagina se a mamãe me pega com a calça cheia do melzinho da minha maninha? Ou a saia da mana cheia do meu leitinho? O que ela iria pensar da gente? Apesar de que comentar sobre isso deixou a gente com ainda mais tesão. Pois é... minha maninha putinha tava andando com uma saia de secretária e sem calcinha. As mulheres dizem que é pra não marcar. A gente sabe (pelo menos entre nós dois) que é pra não deixar de gozar. Era isso que ela tava implorando pra mim com aquele olhão sexy (e tratou logo de mandar o óculos pra primeira pilha de papel que encontrou). A gente se mata de tesão só nos encarando. E nos encaixando. E rebolando um no outro. Mas eu sempre gostei de torturar ela. Ela gosta mais ainda e finge que é uma puta que quer gozar logo. Doida pra ser contrariada pelo menos umas duas vezes, pra latejar mais forte e gozar mais gostoso. Abri a blusa dela e fiquei encarando os peitinhos da puta. E ela sem parar de rebolar no meu volume (essa é a "contra tortura" dela. Se eu não deixar ela rebolar aí sim é que a coisa fica feia. Tão feia pra o lado puritano da vida...tão tesuda pra o lado sacroprofano...aiai).
- Você quer leitinho? - e aí esperei o "aham..." de puta dela pra continuar. - Tá, mas antes eu vou mamar em você. Depois dou mamadeira pra minha maninha linda, heh. - e cai de boca nos peitinhos lindos dela. Não são dos grandes, mas o tamanho me agrada. Eu gozo, ops, eu gosto [gozo também]. Ela fala que não são o forte dela e sempre apela com o rabão (sabe que eu nunca resisto), mas eu gosto de aproveitar minha irmãzinha por inteiro, pedacinho por pedacinho. Mas como eu estava só torturando, cai de boca nos peitos dela só pra deixá-la com tesão a ponto dela não aguentar mais e querer leitinho cada vez mais. Ela mamou até tirar o leitinho que queria, botou no cafézinho dela e perguntou se eu queria rosquinha pra sobremesa. E eu não perdi tempo. Botei ela com o rabão empinado, apoiada no birô. Passei os dedos no cuzinho dela. Rocei a pica na entradinha dela. Ela rebolou um pouco. Eu cheguei no ouvido dela e sussurrei "Issssooo..." só pra sentir ela latejar feito doida na cabecinha (vocês precisam ter noção do quanto ela lateja quando eu falo "issoo..." no ouvidinho dela. Mas não terão por que a irmã é minha, heh). Quando ela começou a rebolar pra trás querendo me engolir e rebolar mais até gozar eu me afastei e guardei o pau. Fui embora e deixei ela lá muito puta. Em todos os sentidos ( e isso é uma tortura enorme pra mim, não só pra ela. Vocês não sabem a agonia que é sair de pau duro ou o trabalho que dá guardar. Dá um tesão ENORME...dá trabalho pra se controlar...mas compensa chegar em casa antes da mana e olhar pra ela 15 min depois implorando pra ser pega por trás com aquele rabão enorme rebolando só pra você...aiai...só de lembrar... Ah, o que eu fiz com o rabão? Nem te conto. Ou talvez eu deixe ela contar na próxima).

DARUKIAN, O CEIFADOR DE ORGASMOS

P.S.: Sou um péssimo irmão mais velho que dá péssimos exemplos, não acham?

2 comentários:

Agradeço por ter lido, mas há outra coisinha que quero que você faça. Responda: Gostou? Gozou? Então caia de boca na minha...caixa de comentários e libere tudo que quiser jorrar, com muita indecência!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...