Por: DARUKIAN, O Ceifador de Orgasmos e sua Primeira Puta das Artes Sacroprofanas, Emonditte. Seres sem rosto nem forma, que tem como único propósito te fazer gozar muito (a vida).

Seguidores dos instintos

30 de março de 2012

Incesto na sexta


Fim de tarde. Cheguei em casa depois da aula e encontrei o Darukian tomando AQUELE banho quente. Tava um tesão, não resisti e fiquei olhando por um tempão na beiradinha da porta... Aquele corpo moreno, gostoso, todo coberto de água, aquele pau pingando água e gozo. Fui uma puta forte e não entrei.

Hoje era dia de festa. Sexta-feira é nosso dia de sair de casa e fazermos nossos planos de caça às putas. Mas essa sexta era nossa. Fomos pra uma festa cheia de dança de uma puta amiga nossa (ah, Anita... deliciosas histórias juntos, que ménages, moça! Que ménages!) sozinhos. Queríamos mesmo era logo nos catar. Ele estava com aquele terno preto que deixa ele mil vezes mais gostoso, eu com um vestido bem coladinho e contornadinho. E quando eu digo de contornos vocês sabem bem o que é.

Deixei ele lá no cantinho com umas amiguinhas dele que já caíram em cima e quase derrubaram bebida em mim. Tão sem graça, sem tempero... sem bunda, PRINCIPALMENTE sem bunda. Puta sem bunda é puta vazia, gente! Será que elas não entendem?

Acham mesmo que ignorei-o durante a festa toda só por causa das meninas? Eu não... Ignorava eram os guris me cantando, e depois olhava pra trás e lá estava meu mestre, olhando de lado, só me rondando. Eu fazia meus charmes gostosinhos – aqueles que as putinhas aprendizes ao redor dele não faziam. Sentava de frente, no outro extremo... pra ele olhar minha falta de calcinha...

E fazia charme com as minhas putinhas, e roubava chupadas, e batia nos rabões delas... E dançava na pista toda empinada, feito virgem querendo um pau pra sentar. Eu estava uma virgenzinha, minhas putas. Uma hora ele se cansou de tudo aquilo e resolveu me pegar perto de uma parede. Me empurrou, fez pressão com o volume e começou a rebolar devagar...

Quase desmaio de tesão. Eu adoro quando ele chega sorrateiramente – principalmente me pegando por trás. Deu aquele sorriso gostoso dele... Levantou meu vestidinho olhando para os lados (os machos estavam mesmo fogosos hoje) e caiu de boca no meu rabão lá mesmo, na frente das minhas amiguinhas e das amiguinhas dele...

Ah, putosfera... sabe o que é gemer sem culpa da mamãe estar ali do outro lado do quarto ouvindo tudo? Me senti tão livre, com a boca dele no meu cuzinho no meio da festa... as luzes iluminando meu rabão branco, os dedos dele passeando pelo meu corpo sem parar, penetrando às vezes. Me deixando toda meladinha, muito mais do que eu já estava.

Não se agüentou. Abriu a calça social e tirou só aquele pau grande e meladinho de lá. Enfiou no meu cuzinho bem devagar. Uma mão envolvia minha cintura e a outra o meu rabão. Parecia descontrolado. Mas sei que estávamos completamente fora do eixo. Ele sabia que eu estava totalmente tesuda por ele e resolveu ser bonzinho e me atacar. Quão doce!

Foi aumentando o ritmo, nossos corpos envolvidos no calor e suor... ele gozou dentro de mim. E eu na cabecinha desse pau gostoso que ele tem. E as pessoas ao redor olhando boquiabertas... Tesão!
Voltamos pra casa tão amassadinhos! Acho que mamãe desconfiou, por causa do pingo de gozo na minha coxa.

Foi uma delícia essa sexta.

PS: Que fogo, Darukian... será que você também me viu tomando banho? Ou me pegou num momento distraído e me viu mexendo na bucetinha enquanto você tomava o seu?

Um comentário:

  1. enfim, vou rasgar essa calcinha toda...até já estou com pena dessa aí...vou comê-la tanto mas tanto que nem dá para pensar muito no assunto...eu contendo as minhas palavras :)

    ResponderExcluir

Agradeço por ter lido, mas há outra coisinha que quero que você faça. Responda: Gostou? Gozou? Então caia de boca na minha...caixa de comentários e libere tudo que quiser jorrar, com muita indecência!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...